ACESSE A ÁREA DO ASSOCIADO

Publicação

Família, sempre de novo a família: As pessoas se casam a cada dia

FAMÍLIA, SEMPRE DE NOVO A FAMÍLIA

 

AS PESSOAS SE CASAM A CADA DIA

 Frei Almir Ribeiro Guimarães, OFM

Conselho de Educadores da  EPB

 

Nossa  família, nossa riqueza!  Não há dúvida!  Tudo começa com a história de um  homem e de uma mulher. Dois seres que viviam sua vida, que traçavam seu caminho,  que se deixavam levar pela vida ou que a vida levava. Um homem  e uma mulher,  duas liberdades que se encontram e se escolhem.  Não coisas, não dois objetos, não peças de uma engrenagem fatalista e cega, mas duas vidas, duas histórias, duas pessoas que sonham, pensam, querem amar e precisam ser amadas, duas liberdades  que não se anulam, mas desejam  viver uma estreita comunhão de vida que começa na terra e pode acabar na eternidade.

Um homem e uma mulher que, num  determinado momento, se escolhem.  Dizem um sim. Dizem que estão dispostos a caminhar juntos  rumo um futuro imprevisível, que vão construir a dois e a mais com a chegada dos filhos. Uma aventura!  Ele e ela e a certeza de que um laço os une. E os dois com o projeto de serem esposo e esposa, pai e mãe.   Uma aventura!  Que maravilhosa audácia!  O que pode garantir  o sucesso de tal empreitada,  senão um imenso bem-querer. Ninguém se casa de qualquer jeito.  Ninguém funda uma família desavisadamente.

O homem deixará pai e mãe e os dois serão uma só carne, uma só realidade,  uma vida em comunhão.  Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, no sol na chuva, trabalhando, lutando, vencendo obstáculos, empregados ou desempregados, os dois, cuidando de um parente muito doente, um só coração e uma só alma, um corpo e um coração.   Tudo feito e tudo ainda por ser feito.  O amor conjugal não pode cochilar.  União, certamente mas sem fusão.

Há os que inauguram sua vida a dois com o sacramento do matrimônio. Marido e mulher se comprometem de se amarem como  Cristo amou os seus.  Há um sim das vísceras dos que se casam e, ao mesmo tempo,   um sim de Cristo ressuscitado.  Casam-se na rocha.

As pessoas se casam a cada dia.  O dia das  núpcias é breve e logo passa.  Será necessário repetir o sim.  Um dia será renovado na ternura dos encontros.  Outros dias quando uma gravidez se anunciar.  Será reiterado num momento de aperto no coração: desemprego, filho doente, parentes vivendo dramas, dúvidas que corroem por dentro.  Sempre os dois, sempre tentando na diferença serem um só coração, casando-se a cada dia, cada um sendo o que é, mas querendo terem um só coração.