ACESSE A ÁREA DO ASSOCIADO

Publicação

Família, sempre de novo a família: Por que a família é importante?

FAMÍLIA, SEMPRE DE NOVO A FAMÍLIA

 

POR QUE A FAMÍLIA É IMPORTANTE?

 

Frei Almir Ribeiro Guimarães, OFM

Conselho de Educadores da EPB

 

            Não é preciso provar esta pergunta.  A família é realidade importantíssima na vida de qualquer pessoa.  Os que vivem sem família  conhecem dificuldades quase insuperáveis ao longo de sua  existência.

Família é importante na vida de todos, mas não qualquer família.  Temos em mente uma família fundada por sobre um casal sólido, maduro, humano em estado de constante crescimento.

A família  é um espaço ou lugar em cada pessoa faz a experiência de amar e de ser amada, querida e desejada. Cada um toma consciência  que ocupa um lugar único e intransferível no mundo. O homem toma consciência de que é marido, companheiro e pai. A mulher vai  tomando consciência de ser   esposa, companheira e mãe.  Os filhos se sentem amorosamente entrelaçados no amor dos pais.  Cada um conta, cada um tem valor, cada um  tem consciência de ocupar um lugar ao sol.

No seio da família não se precisa viver um teatro.   Cada um pode ser ele mesmo. Ali todos encontram lugar para  refazer as forças, espaço de descanso do corpo e do espírito. No seio de uma família, no jogo do amor dos esposos,  no cuidado de uns pelos outros, no interesse da vida que os outros levam,  vão sendo forjadas personalidades  sadias e vigorosas.  O jeito de viver amoroso dos pais, sua honestidade, sua correção, o respeito que esses pais demonstram para com seus pais doentes e idosos  tudo isso vai penetrando na psique e no coração dos filhos  de tal forma que eles não são educados  por meio de discursos e falas, mas pelo testemunho amoroso  desses que eles chama de pai e de mãe.

No seio da família as  pessoas se desenvolvem, se realizam.  Sim, a harmonia e um sadio clima familiar contribuem para a realização profissional de todos os membros.  As atenções carinhosas favorecem o estudo dos filhos. Quando  os filhos  circulam numa verdadeira família eles estão aptos a  comparar o que se vive em casa com a loucura de uma sociedade muitas vezes sem nexo, desbussolada, buscadora de interesses individualistas pequenos e mortíferos. Uma pobre sociedade  buscadora de vantagens pessoais, privada de qualquer senso de solidariedade.

É  bom, muito bom, quando podemos encher a boca e dizer que nos orgulhamos de nossa família, espaço aberto é claro, nada de gueto,  espaço que descortina o amanhã onde se forjam cidadãos de valor para a terra dos homens.