ACESSE A ÁREA DO ASSOCIADO

Publicação

LIMITES E CUIDADOS NO USO DAS REDES SOCIAIS – os perigos da exposição pública

Com o avanço tecnológico, o acesso à Internet leva cada vez mais os brasileiros à inclusão nos ambientes digitais, e as redes sociais ocupam uma posição de destaque nas estatísticas sobre o tema. Sem dúvida, estamos diante de um grande fenômeno o qual permite acesso a informação global, aprendizado cultural, política, lazer, relacionamento social e profissional. As redes sociais são meios de comunicação que interligam pessoas por área de interesse de forma virtual, com rapidez de divulgação independente da distância e com custo irrisório. Diante de tanta facilidade e amplitude, é certo que surgem pontos negativos que precisam ser tratados com muito cuidado, atentando para o uso correto das diversas ferramentas disponíveis na Tecnologia de Comunicação e Informação (TIC). Um exemplo na área profissional desse cuidado é que as empresas em busca de talentos, conectam-se às redes sociais para selecionar o perfil adequado do profissional, baseado em informações de conduta, hábitos, hobbies, preferências, comportamento ético, boa redação e habilidade de relacionamento dos candidatos.

Com a mesma facilidade que as redes sociais são utilizadas para divulgação de cultura, lazer e importantes informações, também são utilizadas para difamação, fofocas e intrigas que destroem relacionamentos e causam constrangimento às vítimas, além de atentados, apologia a crimes, maus tratos contra os animais e violações dos Direitos Humanos como aliciamento, incentivo ao racismo, neonazismo, homofobia e intolerância religiosa. Podemos exemplificar com fatos recentes como o Diário de Classe, página criada por uma adolescente estudante da rede pública em Florianópolis, no qual ela denunciava problemas na infraestrutura e didática de alguns professores de sua escola, um verdadeiro ato de cidadania. Por outro lado, pais de menores foram condenados pela justiça de Rondônia, por seus filhos terem criado uma comunidade em um site de relacionamento para ridicularizar um professor da escola onde estudavam.

Levantamos então as seguintes questões: qual o limite entre o público e o privado? Quais são os riscos sobre o que se publica nos sites? Quais os cuidados necessários quanto ao uso correto das redes sociais?

“A internet pode ser vista como a maior praça pública do mundo e esconde violência real nas esquinas virtuais” (Especial da Revista do 50º Congresso Nacional da Escola de Pais do Brasil).

Quando uma pessoa compartilha, nas redes sociais, informações pessoais e de sua vida particular, tais como fotos e vídeos, endereço, telefone, horário e locais onde frequentam, está se expondo virtualmente de uma forma exagerada e perigosa. Quem de nós sai distribuindo fotos em praça pública e falando nos ônibus, a quem quer que seja, sobre os horários e locais que costuma frequentar? Precisamos compreender que o mundo virtual faz parte do mundo real e se cuidamos de nossa segurança com muros e grades em nossas casas, devemos também ter cuidado em preservar nossa privacidade. O usuário das redes sociais deve se sentir confortável com o que publica na internet e ao criar seu perfil, deve ser cauteloso, pois nunca se sabe quem estará lendo essas informações e quais são suas reais intenções.

Vivemos num mundo violento e os riscos são muitos: golpes, sequestros falsos e verdadeiros, pedofilia, ameaças e chantagens que muitas vezes, o medo e o constrangimento é tanto que evitamos sair de casa para não sermos alvo de chacotas, críticas, julgamentos equivocados e exclusões sociais.

Pais e educadores devem ficar atentos quanto ao uso da TIC pelas crianças e adolescentes porque, aprender a criar páginas, fazer vídeos e manipular imagens nas redes sociais não é uma tarefa difícil, mas ter uma postura ética e responsável depende de uma orientação com qualidade e eficiência, para que eles possam entender e internalizar a dimensão pública a qual estarão expostos, não só em relação aos seus direitos, mas sobretudo aos deveres impostos pela nossa constituição.

Para finalizar, relaciono a seguir algumas dicas e cuidados para o uso correto das redes sociais, extraídos da cartilha “SaferDic@s”, elaborada pela SaferNet(*).

Cuidados:

  • Não exponha detalhes de sua vida. Sua intimidade é preciosa e não deve ser aberta para qualquer um;
  • Quando divulgamos informações pessoais na internet, elas se tornam públicas;
  • Após publicar algo na internet, é impossível voltar a escondê-lo;
  • Os “cadeados” e bloqueios de acesso podem ser “quebrados” por pessoas mal intencionadas;
  • Seus dados podem ser roubados e manipulados para ofender e mesmo chantagear.

Dicas para manter-se seguro:

  • Mantenha o mínimo de informações em seu perfil;
  • Se divulgar fotos, use as que não facilitem seu reconhecimento, nem endereço ou nome da escola;
  • O que importa é a qualidade e não a quantidade de amigos. Cuidado com estranhos;
  • Jamais aceite convite de encontro presencial com quem não conhece;
  • Troque sua senha periodicamente;
  • Caso seja agredido por estranhos, configure sua conta para bloquear os contatos indesejados;
  • Se visualizar conteúdos suspeitos de violarem os Direitos Humanos, denuncie em www.denuncie.org.br.

“Palavras são apenas resumos dos nossos sentimentos profundos, sentimentos que para serem explanados precisam mais do que um sujeito, um verbo e um predicado. Precisam de toque, visão, audição. Amor virtual é legal, mas o teclado ainda não dá conta de certas sutilezas”.  (Martha Medeiros)

(*) ONG sem fins lucrativos, voltada à prevenção, orientação, acolhimento de denúncias e canal de ajuda via chat ou email; criada por cientistas de TI, professores, pesquisadores, psicólogos e bacharéis em Direito.

Bibliografia:

Anais do 49º Congresso Nacional da EPB

Revista do 39º Seminário Regional da EPB – Salvador

Revista do 50º Congresso Nacional da EPB

Internet: Redes sociais: exposição ou intromissão – Christiane Lima

Internet: O limite entre o público e o privado – Jéssica Silva

Cartilha SaferDic@as da SaferNet

Ana Rosa e Anníbal são presidentes da Escola de Pais do Brasil – Salvador